Se está a ver esta mensagem é porque está a utilizar uma versão antiga do Internet Explorer incompatível com o actual site da Fundação A LORD.

Actualize o Internet Explorer para a sua versão mais recente ou instale um dos navegadores de internet abaixo sugeridos por nós:


Internet Explorer

Mozilla Firefox

Google Chrome

Opera

Dinamização da Cultura, da Educação e da Sociedade

Concerto de Reis Uma Missa para a Paz | 18 de janeiro

Datas: 18/01/2014 |Hora: 21:30 Localização: Auditório Fundação A LORD, Lordelo - Paredes

Convite Digital

HISTORIAL DO CORO DE S. TARCÍSIO

 Em outubro de 1956, a convite do Reverendo Padre Luís Rodrigues, na altura Reitor da Igreja da Lapa, no Porto, passou a desempenhar o cargo de organista desta Igreja o insigne maestro e compositor italiano D. Angelo Fasciollo. Tal correspondeu à inauguração naquela Igreja de um moderno órgão eletrónico, então considerado como dos melhores da Europa.

Desde logo surgiu a necessidade de dotar a Igreja de um Coro que correspondesse ao forte impulso da qualidade musical provocado pela aquisição do referido órgão e à presença de tão ilustre Maestro, Compositor e Organista.

Assim, nasceu o Coral Misto Sacro S. Tarcísio, que se apresentou pela primeira vez em público no dia 3 de maio de 1957, na Festa de Nossa Senhora da Lapa.

Em 1984, passou a designar-se Coro S. Tarcísio da Igreja da Lapa. Ao deixar esta Igreja em junho de 1997, mudando para a Igreja da Trindade, no Porto, adquiriu o atual nome de Coro de S. Tarcísio, gozando de total autonomia administrativa, artística e financeira, como aliás sempre aconteceu ao longo da sua existência.

Tem sido preocupação do Coro dispor de um vasto reportório litúrgico de todas as épocas. Várias obras de prestigiados compositores têm sido apresentadas em público, em concertos e outros eventos, destacando-se missas completas de Gounod, Mozart, Haydn, Orlando di Lasso, Eberlin, Rossini, Donizetti, Jenkins e Fauré e outras peças de assinalável envergadura.

O Coro tem atuado com as seguintes orquestras: Sinfónica do Porto, Konsonantia, Artave, Orquestra do Conservatório de Gaia, Orquestra Filarmonia das Beiras e Orquestra do Norte. A sua atividade discográfica traduz-se em três discos, um deles com a Missa das Catedrais de Gounod.

Em maio de 2008, foi-lhe atribuído o estatuto de Instituição de Utilidade Pública.

Ao longo da sua existência, foi dirigido por vários maestros, tais como: Ivo Savini, Silva Pereira, Günther Argleb, José Atalaya e António Soares. Destaca-se, particularmente, o Maestro José Belarmino Soares, que orientou o Coro desde 1979, e que só a morte súbita, em 2000, interrompeu. Atualmente, são seus responsáveis artísticos o Pianista Jairo Grossi e o Barítono Pedro Telles.

JAIRO GROSSI | PIANISTA

Jairo Grossi iniciou os seus estudos no Rio de Janeiro com a Professora Dalva Senra. A sua formação passou por nomes como Alfredo Cerquinho, Jacques Klein, Homero de Magalhães e Magda Tagliaferro.

É detentor de vários prémios em concursos de piano, entre os quais o 1.º lugar no 3.º Concurso de Piano da Universidade Católica do Salvador (Bahia). Foi vencedor por duas vezes no Concurso para Jovens Solistas da Orquestra Sinfónica do Estado de São Paulo e Medalha de Bronze no 2.º Concurso Internacional de Piano Heltor Villa-Lobos.

Integrou o Trio Camargo Guarnieri com a violinista Tânia Guarnieri e o violoncelista Robert Suethols, tendo interpretado o vasto reportório para esta formação e, simultaneamente, primeiras audições de compositores brasileiros.

Tem-se apresentado tanto como solista como em música de câmara pelo Brasil, assim como em Portugal, França, África do Sul e Estados Unidos, atuando sob a direção dos Maestros Eleazar de Carvalho, Diogo Pacheco, Paulo Ridlevsky, Camargo Guarnieri, Manuel Ivo Cruz e Mário Mateus.

Tocou com a Orquestra Sinfónica do Estado de São Paulo, Orquestra de Cordas da Universidade de São Paulo, Orquestra Sinfónica do Espírito Santo, Orquestra Jovem de S. Caetano e Orquestra do Conservatório Regional de Gaia.

A sua vida artística em Portugal é muito intensa. Desenvolve trabalho como pianista no Conservatório do Porto e no Conservatório Superior de Gaia.

Por dois anos consecutivos, foi convidado para ser o pianista acompanhador do Concurso para Jovens Clarinetistas de Portugal. Em 2003, foi convidado para ser o acompanhador oficial do Concurso Internacional para Violino da Covilhã.

Foi pianista correpetidor na produção das óperas Flauta Mágica, Cosi fan Tutte e Bodas de Fígaro de Mozart, Suor Angelica de Puccini, Amhal e os Visitantes da Noite de Mennotti e no Matrimónio Secreto de Cimarosa.

Terminou o Mestrado em Piano pela Universidade de Scheffield.

Atualmente, é Maestro do Coro de S. Tarcísio, na Igreja da Trindade do Porto e Maestro do Coro do Círculo Portuense de Ópera.

PATRÍCIA QUINTA | MEZZO – SOPRANO

Patrícia Quinta é natural do Porto. É licenciada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto (2002); graduada em Lied e Oratória (2007) pela Universidade de Música e Artes do Espectáculo de Viena; Bacharel em Canto Teatral pelo Conservatório Superior de Música de Gaia (2002), na classe de Fernanda Correia.

Durante a sua formação na Universidade em Viena, estudou com Margit Klaushofer, especializando-se no domínio do Lied e Oratória com Charles Spencer e no domínio da ópera com Reto Nickler.

Recentemente, interpretou o papel de Marquesa de Berkenfield na ópera La Fille du Regiment de G. Donizetti e Old Lady na versão concerto de Candide de L. Bernstein, ambas produções do Teatro Nacional de São Carlos. Integrou o elenco da ópera Paint Me de Luís Tinoco, sob a direção de Joana Carneiro, numa coprodução do Teatro Nacional São Carlos e da Culturgest.

Tem realizado vários concertos, destacando-se o ciclo Rückert Lieder de G. Mahler com a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, sob a direção de Vasily Petrenko.

Participou no Concurso Nacional de Canto Luísa Todi (2003), onde lhe foi atribuído o prémio Bocage (cantor revelação).

Frequentou classes de aperfeiçoamento com Hilde Zadek, Ulf Bästlein, Enza Ferrari, Elsa Saque, Laura Sarti, António Salgado, Rudolf Piernay, Grace Bumbry e Christa Ludwig.

PEDRO TELLES | BARÍTONO

Pedro Telles é natural do Porto. Iniciou os estudos de canto com a Professora Fernanda Correia, tendo terminado os estudos superiores em Canto Teatral, na Fundação Conservatório Regional de Gaia, na classe da mesma Professora.

No domínio da Oratória, foi solista em várias Oratórias, destacando-se: Magnificat; Cantata Ich habe genug; quatro Missas Brevis; Paixão segundo S. João de Bach; Missa Solene de Stª. Cecília de Gounod; Via Crucis de Liszt; Missa Dolorosa de Caldara; Missa em Ré Maior de Otto Nicolai; Missa da Coroação e Requiem de Mozart; Passio de Arvo Part; Fantasia de Natal de Vaughan Williams; Oratória de Natal de Saint Säens; Missa Solene e Stabat Mater de Rossini; Missa das crianças de John Rutter; Requiem de Fauré; Requiem de Donizzetti; The armed Man de Karl JenKins; Missa de Nelson de Haydn.

Realizou em 1.ª audição a personagem de Jesus na obra Paixão segundo S. João, de Padre Ferreira dos Santos.

No campo da Ópera, interpretou os papéis de Papageno, na Flauta Mágica de Mozart; Giorgio Germont, em La Traviata de Verdi; Don Colagianni, em Il Maestro di Musica de Pergolesi; Doutor Malatesta, em Don Pasquale de Donizetti; Eneas, em Dido e Eneas de Gluck; Figaro, nas Bodas de Fígaro de Mozart; Marcello, em La Bohéme de Puccini; Rigoletto, no Rigoletto de Verdi; Sábio, em A Floresta de Eurico Carrapatoso e Dottor Bartolo, no Barbeiro de Sevilha de Rossini. Realizou em estreia absoluta com a Orquestra do Norte, sob direção de Ferreira Lobo, a ópera O Crepúsculo do Crítico de Manuel Faria.

No decorrer do seu percurso, cantou sob a direção dos maestros Manuel Ivo Cruz, Mário Mateus, Gunther Arglebe, Ferreira dos Santos, Ferreira Lobo, Eugénio Amorim, Cesário Costa, Evgueni Zouldikine, Gaetano Soliman, Belarmino Soares, Marc Tardue, Julian Reynolds, Fernando Lapa, António Baptista, António Lourenço, Jairo Grossi, Armando Vidal, Sérgio Ferreira, Filipe Veríssimo e Lawrence Golan.

Tem realizado concertos em Portugal, Espanha, Suíça, França, Brasil e Polónia.

Frequentou cursos ministrados por Paul von Schillawsky, Ileana Cotrubas, Charles Hamilton, Amin Feres, Charles Spencer, Rudolph Piernay e António Salgado.

Estuda, desde sempre, com a Professora Fernanda Correia e, regularmente, com Hilde Zadek, Rio Novello, Neyde Thomas, e Luciana Serra.

Atualmente, é um dos maestros do Coro de S. Tarcísio (Porto) e docente na Academia de Música de Costa Cabral (Porto).

 

 

 

Partilhe!

Sem comentários.

Responder