Se está a ver esta mensagem é porque está a utilizar uma versão antiga do Internet Explorer incompatível com o actual site da Fundação A LORD.

Actualize o Internet Explorer para a sua versão mais recente ou instale um dos navegadores de internet abaixo sugeridos por nós:


Internet Explorer

Mozilla Firefox

Google Chrome

Opera

Dinamização da Cultura, da Educação e da Sociedade

Do Natal aos Reis | Auditório A LORD | 5 Jan. 2013

CÍRCULO PORTUENSE DE ÓPERA

Fundado em Dezembro de 1966, o Círculo Portuense de Ópera é uma associação cultural sem fins lucrativos que tem como principal finalidade promover, junto de todas as camadas sociais, o estudo e a divulgação da ópera, especialmente através da realização de espectáculos. Fazem parte do CPO um coro adulto e um coro infantil.

Das várias óperas apresentadas destacam-se: “Norma”, de Vincenzo Bellini; “Carmen”, de Georges Bizet; “Il Filosopho di Campagna”, de Baldassare Gallupi; “Carmina Burana”, de Carl Örff; “Rita”, “L’Elisir d’Amore” e “Don Pasquale”, de Gaetano Donizetti; “Orfeu”, de Christoph Glück; “L’Amico Fritz”, de Pietro Mascagni; “Amahl e os Visitantes da Noite”, de Gian Carlo Menotti; “Bastien und Bastienne”, “Cosi fan Tutte”, “Don Giovanni”, “As Bodas de Fígaro” e “A Flauta Mágica”, de Wolfgang Amadeus Mozart; “Madama Butterfly”, “La Bohème” e “Tosca”, de Giacomo Puccini; “O Barbeiro de Sevilha”, de Gioacchino Rossini; “La Traviata”, “Falstaff” e “Il Trovatore”, de Giuseppe Verdi; “História da Ressurreição”, de Heinrich Schütz, realização cénica em estreia nacional.

A nível de concertos, a actividade do CPO é também muito relevante, pois nos seus programas figuram obras de repertório coral, como “O Messias”, de Georg Friedrich Händel; “A Paixão Segundo S. João”, “Cantata 147” e “Cantata 206”, de Johann Sebastian Bach; “Te Deum”, de Marc-Antoine Charpentier; “Missa da Coroação”, de Wolfgang Amadeus Mozart; “9ª Sinfonia”, de Ludwig von Beethoven; “Rapsódia Coral”, de Joannes Brahms; “Oceanos Cósmicos”, de Cândido Lima; “Llanto por Ignacio Sánchez Mejías”, de Maurice Ohana; “Libera Me”, de João Domingos Bomtempo (primeira audição mundial); “Petite Messe Solennelle”, de Gioacchino Rossini; “Ode Sinfónica a Vasco da Gama”, de Georges Bizet; “Os Planetas”, de Gustav Holst”; “Um Requiem pela Humanidade”, de Jorge Salgueiro (estreia mundial); “Mass of the Children”, de John Rutter (estreia nacional); “Portugal-Poema Coral Sinfónico”, de Pe. Ferreira dos Santos (estreia mundial), “Marea Negra” Antón Alcalde (estreia mundial).

Do seu repertório fazem ainda parte programas que englobam coros e árias das óperas mais representativas, por isso mesmo genericamente designados “Noites de ópera”. É disso exemplo o espectáculo de homenagem a Puccini que o CPO estreou em Lousada, em Junho de 2008, e apresentou posteriormente em diversas salas do Grande Porto.

No mesmo ano, o CPO foi convidado a interpretar o hino do Festival Internacional de Marionetas do Porto, no encerramento do evento.

Dos maestros com quem o CPO trabalhou são de realçar Gunther Arglebe, Gyula Nèmeth, Garcia Navarro, Manuel Ivo Cruz, Dimitri Kitaenko, Omri Hadari, Eugene Khoen, Marc Tardue, Reynald Giovaninetti, Massimiliano Caldi, Roman Brogli, Roberto Manfredini, Niksa Bareza, Johannes Willig, José Eduardo Gomes e Rafa Agulló Albors. A nível de encenadores, refiram-se as colaborações com António Couto Viana, Norma Silvestre, José Cayolla, Denis Krief, Tim Coleman, Joseph Franconi Lee, Jorge Vaz de Carvalho, Mietta Corli, Italo Nunziata, Paul Curran e António Durães.

Em Julho de 2003, participou na temporada estival de ópera organizada pela Fondazione Arturo Toscanini (Parma, Itália), levando à cena, no castelo medieval de Vigoleno, a cantata cénica “Carmina Burana”, Carl Örff, merecedora de excelentes críticas do público e dos media.

Em 1 de Outubro de 1985, no Dia Mundial da Música, o CPO foi condecorado pelo Ministério da Cultura com a Medalha de Mérito Cultural, pelos relevantes serviços prestados à música. Em 2001, a Câmara Municipal do Porto atribui-lhe a Medalha de Mérito Cultural – Grau Ouro.

CORO INFANTIL DO CÍRCULO PORTUENSE DE ÓPERA

Criado em 1989, o coro infantil do Círculo Portuense de Ópera tem por missão despertar o gosto e o interesse dos mais jovens pela ópera e, simultaneamente, dar resposta à necessidade de actuação de crianças em produções do repertório operático.

A convite de diversas entidades estatais e privadas, tem realizado inúmeros concertos e participado em festivais e encontros de música em todo o país. Actuou com as seguintes orquestras: Orquestra Clássica do Porto, Orquestra Nacional do Porto, Orquestra Artave, Orquestra da Birmingham Opera Company e Orquestra Internacional Juvenil.

Foi dirigido pelos maestros Manuel Ivo Cruz, José Luís Borges Coelho, Jaroslav Mikus, Georges Martin, Marc Tardue, Palmira Troufa, Luís Filipe Sá, Tim Lole, Omri Hadari, Reynald Giovaninetti, João Paulo Santos, Jorge Salgueiro, Josep Caballé-Domenech, Eugénio Amorim, Luís Machado, Martin André e Christoph König e, ainda, pelos encenadores José Cayolla, Norma Silvestre, Marcelo Ferreira, Tim Coleman, Claudio Cinelli, Neville Tranter, Jorge Vaz de Carvalho, Joseph Franconi Lee, Mietta Corli e Stefano Vizioli.

O coro participou nos seguintes espectáculos: Ópera “Carmen”, de Georges Bizet (Rivoli-Teatro Municipal, Porto/Maio 1989; Coliseu do Porto/Novembro 1998 e Maio 2007); Cantata cénica “Carmina Burana”, de Carl Örff (Auditório Nacional Carlos Alberto, Porto/Outubro 1990; Teatro Académico Gil Vicente, Coimbra/Março 1991; Coliseu do Porto/Janeiro 2002 e Maio 2003); Ópera “O Cábula”, de Fernando Corrêa de Oliveira, em estreia mundial (Auditório Nacional Carlos Alberto, Porto/Dezembro 1994; Auditório do Artave, Santo Tirso/Janeiro 1995); Concerto comemorativo dos 50 Anos da ONU, interpretando o programa “Música dos Beatles” (Coliseu do Porto e Coliseu dos Recreios, Lisboa/Outubro 1995); Ópera “L’Enfant et les Sortiléges”, de Maurice Ravel (Teatro Nacional S. João, Porto/Dezembro 1998, no âmbito do VIII Festival Internacional de Marionetas do Porto); Ópera “La Bohème”, de Giacomo Puccini (Coliseu do Porto/ Junho 2000); II Encontro Internacional de Coros da Cidade do Porto (Auditório da Ordem dos Médicos, Porto/Novembro 2000); Espectáculo de marionetas “Re: Frankenstein”, de Luk van Meerbeke (Teatro Nacional S. João, Porto/Dezembro 2000, inserido no IX Festival Internacional de Marionetas do Porto); Ópera (versão para concerto) “The Prodigal Son”, de Benjamin Britten (Mosteiro de Leça do Balio, Matosinhos/Abril 2001, no âmbito da Porto 2001 – Capital Europeia da Cultura); Cerimónia de abertura do Forum Europeu Lions (Coliseu do Porto/Setembro 2001); Obra coral “War Requiem”, de Benjamin Britten (Europarque, Santa Maria da Feira/Setembro 2001; Sé Catedral da Guarda/Outubro 2001, também no âmbito da Porto 2001; Casa da Música, Porto/Abril 2009); III Encontro Internacional de Coros da Cidade do Porto (Ateneu Comercial do Porto/Novembro 2001); Musicalidades 2002 (Montemor-o-Novo/Outubro 2002); Ópera “Tosca”, de Giacomo Puccini (Coliseu do Porto/Novembro 2002); “O lobo Diogo e o mosquito Valentim”, de Eurico Carrapatoso, em estreia mundial (Teatro Nacional S. João, Porto/Dezembro 2002 e Mosteiro de S. Bento da Vitória, Porto/Dezembro 2003); Gravação, em Março de 2004, da obra “Um Requiem pela Humanidade”, de Jorge Salgueiro, incluída na banda sonora da peça “Ensaio sobre a Cegueira”, sobre texto homónimo de José Saramago para a co-produção Teatro Nacional de S. João e Teatro O Bando, estreia mundial;Ópera“La Bohème, de Giacomo Puccini (Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz/Setembro 2004, numa produção do Teatro Nacional S. Carlos); “Requiem Flamenco”, de Paco Peña (Casa da Música, Porto/Abril 2005); Oratória “Stabat Mater”, de Giovanni Pergolesi (Igreja de Cedofeita, Porto/Maio 2005); “Laudate Pueri”, de Eugénio Amorim, em estreia mundial (Igreja de N.ª Sr.ª da Conceição, Porto/Junho 2005); “Mass of the Children”, de John Rutter, em estreia nacional (Igreja da Trindade, Porto/Dezembro 2005); Concerto “Les Choristes”, da banda sonora do filme com o mesmo nome, em estreia nacional (Casa da Música, Porto/Janeiro 2008); “A Floresta”, de Eurico Carrapatoso (Coliseu do Porto/Fevereiro 2008); IV Festival Internacional de Coros Infantis (Centro de Artes e do Espectáculo da Figueira da Foz/Maio 2008); “Triomphe d’exister”, de Karin Rehnqvist, em estreia mundial (Casa da Música, Porto/Dezembro 2008); Concerto de Natal (Teatro Constantino Nery/Dezembro de 2009), Concerto de Natal (Fundação Alert/Dezembro de 2009); Concerto de Natal (Casa da Música, Porto/Dezembro de 2009); “3.ª Sinfonia” G. Mahler (Casa da Música, Porto/Maio de 2010); Concerto de Natal (Casa da Música, Porto/Dezembro de 2010).

JOSÉ EDUARDO GOMES | Maestro Titular do Coro Adulto

O maestro José Eduardo Gomes nasceu em 1983, em Vila Nova de Famalicão.

Músico e instrumentista versátil estudou clarinete na ARTAVE – Escola Profissional Artística do Vale do Ave, com o Professor Francisco Ribeiro e na ESMAE – Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto, onde se licenciou com distinção na classe do Professor António Saiote. Foi premiado em concursos nacionais e Internacionais, onde se destacam: “Prémio Jovens Músicos”, “Concurso Marcos Romão” e “Concurso Internacional Villa de Montroy, Valencia”.

Como instrumentista tem-se dedicado à música de câmara e apresenta-se regularmente com diversas formações em Portugal, Itália, Bélgica, Suiça, Japão e Canadá.

Demonstrando desde cedo o interesse pela direcção de orquestra, participou em master classes com os maestros António Saiote, Cesário Costa, Jan Cober, Gianluigi Gelmetti, Jésus López Cobos, Alexander Polishuk, Ernst Schelle, Luiz Gustavo Petri, Douglas Bostock e Jose Rafael Vilaplana, onde teve a oportunidade de dirigir a Orquestra de Sofia, a Orquestra do Algarve, a Orchestre de la Haute École de Musique de Genève e Zurique, a Orquestra Filarmonia das Beiras, a Orquestra Clássica do Centro, entre outras.

Estudou Direcção de Coro com o professor Celso Antunes.

Foi assistente de Martin André na Orquestra Momentum Perpetuum.

O ano de 2010 marcou a sua estreia em Portugal à frente da Orquestra do Algarve, assim como com a Orquestra de Câmara Portuguesa.

Foi assistente do maestro Kazushi Ono, na ópera Luisa Miller de Verdi, na Opera National de Lyon.

Dirigiu a Orquestra Sinfónica Portuguesa, inserido na temporada do Teatro São Carlos.

Participou no Masterclasse com o Maestro Jorma Panula, onde dirigiu a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música.

Terminou, com distinção os seus estudos na Haute École de Musique de Genève, na classe de direcção de orquestra do professor Laurent Gay.

Enquanto maestro convidado do II Estágio, dirigiu a Orquestra de Sopros ARTAVE, assim como o Estágio da Orquestra Júnior da Escola Profissional de Viana do Castelo.

Dirigiu recentemente em concerto a Orquestra Sinfónica de Kaposvár (Hungria), Orquestra do Algarve, Orquestra Sinfónica Portuguesa e Orquestra Sinfónica do Porto CDM.

É membro fundador do Quarteto Vintage, maestro titular do Coro Adulto do Círculo Portuense de Ópera e professor na Academia de Música de Costa Cabral.

PALMIRA TROUFA | Maestrina Titular do Coro Infantil

Concluiu os cursos superiores de Canto e Piano do Conservatório de Música do Porto, na classe das professoras Fernanda Correia e Hélia Soveral.

Obteve os seguintes prémios: 1972 – 1.º prémio (categoria B) Concurso de Canto do Centro Académico do Conservatório de Música do Porto; 1972 e 1973 – 1.º prémio (categoria B) Concurso Gulbenkian de Canto; 1974 – 1.º prémio do Concurso de Italiano Gulbenkian, 1.º prémio (categoria A) Concurso Gulbenkian; 1982 e 1983 – 2.º prémio nos 1.º e 2.º Concurso Internacional de Canto do Instituto de Estudos de Música Vocal, Vila Nova de Gaia. No primeiro destes concursos obteve ainda o prémio Eng.º António de Almeida, para o melhor Cantor Português.

Como bolseira da Fundação Gulbenkian, estudou em Paris e Londres com os professores Ré Koster, Pierre Bernac e Vera Rosza.

Em 1977 estreia-se no Teatro Nacional de S. Carlos, na ópera “A Vingança da Cigana”. Cantou neste mesmo teatro os seguintes papéis: D. Elvira de “D. Giovanni”, Konstanza de “O Rapto do Serralho”, Fiordiligi de “Così fan tutte”, Condessa de “As Bodas de Fígaro”, de Mozart, Belinda de “Dido e Eneias” de Purcell.

Após a sua estadia no estrangeiro, em 1981, começa a integrar regularmente os elencos das principais produções do Círculo Portuense de Ópera, tais como: “A Vingança da Cigana” de Leal Moreira, “As Guerras de Alecrim e Manjerona” de António José da Silva, Euridice de “Orfeu” de Gluck, “Carmina Burana” de Carl Orff, Micaela de “Carmen” de Bizet, a Mãe de “Amahl e os Visitantes da Noite” de Menotti, Fiordiligi de “Così fan tutte” de Mozart, Rosina de “O Barbeiro de Sevilha” de Rossini, Violetta de “A Traviata” de Verdi, Butterfly de “Madama Butterfly” de Puccini.

Actualmente é professora no Conservatório de Música do Porto e Directora do Coro Infantil do Círculo Portuense de Ópera e Consultora Artística dessa mesma Instituição.

João Queirós | Pianista

Natural do Porto.

Obteve o diploma do curso superior de piano no Conservatório de Música do Porto, na classe do professor Jaime Mota.

Participou em Masterclasses de Piano e Acompanhamento com os professores Jaime Mota, Nicole Henriot, Jaroslaw Drzewiecki, Paul von Schillawsky e Charles Spencer.

Tem desenvolvido intensa actividade como acompanhador de música vocal e instrumental, participando regularmente, como pianista acompanhador, em cursos e concursos nacionais e internacionais.

Participou no XIX e XXI Festival Internacional de Música da Póvoa do Varzim e no II e VI Festival Internacional de Música de Gaia.

Gravou para a Antena 2, RTP 1, RTP 2 e TVI.

Foi Pianista do Círculo Portuense de Opera entre 1992 e 1994.

É colaborador do Coro Madrigália desde a sua fundação em 1994, tendo participado nas digressões a várias cidades brasileiras, efectuadas por este coro em Agosto de 1998 e 2000.

Actualmente é professor acompanhador no Conservatório de Música do Porto.

PROGRAMA

1.ª PARTE | CORO INFANTIL

SILVEIRA PAES (harmonização)

Noite de Natal (Natal tradicional de Castelo Branco)                                        “A la Nanita Nana”

FERNANDO LOPES-GRAÇA

(As cançõezinhas da Tila)                                                         “Pranto para um cordeirinho branco”

GORDON JACOB

Animal Magic, cantata para crianças                                                                                          “Camel”

BENJAMIM BRITTEN

A Ceremony of Carols                                                                                                        1     “Procession”

                                                                                                                                    2     “That Yonge Child”

                                                                                                                                     3.      “Spring Carol”

FELIX MENDELSSOHN

(adaptado por W. H. Cummings; arranjo David Willcocks)      “Hark! The Herald Angels Sing”

D. JOÃO IV (atribuído)                                                                                                   “Adeste Fideles”

CHARLES WOOD (arranjo)                                                              “Ding Dong! Merrily on High”

FRANZ GRUBER (adaptado por W. H. Cummings)                                                 “Silent Night”

 

2.ª PARTE | CORO ADULTO

FERNANDO C. LAPA

Canção popular                                                                                       “Alegrem-se os céus e a terra”

G. VERDI

     LA TRAVIATA                                                                                            “Noi siamo zingarelle”

                                                                                                               “Di Madrid noi siam mattadori”

BIZET

         CARMEN                                                                Coro de cigarreras “La cloche a sonné…”    

                                                                                         “Dans l’air, nous suivons des yeux la fumée”

Habanera “L’amour est un oiseau rebelle”

G. VERDI

     TROVADOR                                                                                     “Ah! se l’error t´ingombra”    

                                                                                                                                           “Or co’ dadi…”

“Squilli, echeggi la tromba guerriera”

                                                                    “Vedi! Le fosche notturne spoglie (coro da bigorna)”

MOZART                                                                                                 “Ave verum corpus” K618

PUCCINI

     TURANDOT                                                                                        “Perché tarda la luna?”

G. VERDI

     NABUCCO                                                                              “Va, pensiero, sull’ali dorate…”

 

 

 

 

 

Partilhe!

Sem comentários.

Responder