Se está a ver esta mensagem é porque está a utilizar uma versão antiga do Internet Explorer incompatível com o actual site da Fundação A LORD.

Actualize o Internet Explorer para a sua versão mais recente ou instale um dos navegadores de internet abaixo sugeridos por nós:


Internet Explorer

Mozilla Firefox

Google Chrome

Opera

Dinamização da Cultura, da Educação e da Sociedade

Escola de Artes

A Escola de Artes é um espaço de aprendizagem de artes – teatrais e musicais; um espaço de crescimento e valorização.

Escola de Artes

 

Galeria de imagens

 

CLUBE DE TEATRO

  • LORDATOR

O LORDator, inicialmente conhecido por Clube de Teatro, nasceu, em março de 2006, para complementar um conjunto de atividades desenvolvidas pela Fundação A LORD. Começou com um grupo constituído por dez elementos femininos, orientado pelas animadoras da Biblioteca desta Instituição, Ana Ferreira e Eugénia Gonçalves.

O primeiro projeto deste Clube de Teatro – Teatro nas Escolas – foi implementado pela Biblioteca e dirigido às escolas da cidade de Lordelo. Desde essa data, tem apresentado várias peças, não só no Auditório da Fundação, mas também noutras instituições:

  • abril de 2006, A Casinha de Chocolate dos irmãos Grimm, na Comemoração do Dia Mundial do Livro, no Auditório da Biblioteca;
  • dezembro de 2006, A Casinha de Chocolate dos irmãos Grimm, na Festa de Natal dos Bombeiros Voluntários de Lordelo, no Auditório dos Bombeiros Voluntários de Lordelo;
  • dezembro de 2007, Um Roubo na Véspera de Natal de Inácio Nuno Pignatelli, no Aniversário da Biblioteca da Fundação, no Auditório da Biblioteca;
  • abril de 2008, A Guerra do Tabuleiro de Xadrez de Manuel António Pina, no encerramento do curso de teatro, orientado pelo ator e encenador Fernando Moreira e pela atriz Ângela Marques, na Comemoração do Dia Mundial do Livro, no Auditório da Fundação;
  • dezembro de 2008, O Natal Mais Triste do Mundo de Fernando Moreira e Eugénia Gonçalves, no Auditório da Fundação;
  • abril de 2009, participação na gravação do último episódio da série Morangos com Açúcar, a convite da atriz Ângela Marques, na Escola Secundária Rainha D. Amélia – Lisboa;
  • abril de 2009, Auto da Barca do Inferno séc. XXI, adaptação da obra de Gil Vicente, realizada por Eugénia Gonçalves, no Auditório da Fundação;
  • abril de 2010, O Intervalo da Vida I de Eugénia Gonçalves, no Auditório da Fundação;
  • outubro de 2010, O Ciclista Voador (o lordelense Ribeiro da Silva), projeto da Astro Fingido e da Fundação A LORD, patrocinado pela Direção Geral das Artes | Ministério da Cultura, no Auditório da Fundação;
  • novembro de 2010, O Intervalo da Vida I de Eugénia Gonçalves, no Auditório de Sobreira – Paredes;
  • novembro de 2010, O Intervalo da Vida de Eugénia Gonçalves, no Auditório de Cête – Paredes;
  • abril de 2011, Atenção! Marchar, Rir, Marchar… de Eugénia Gonçalves, na Comemoração do Dia Mundial do Livro, no Auditório da Fundação;
  • outubro de 2011, Atenção! Marchar, Rir, Marchar… de Eugénia Gonçalves, no Centro Local de Animação e Promoção Rural (CLAP) de Vila Chã – Amarante;
  • abril de 2012, Carnaval Infernal de Carlos Manuel Pires Correia, adaptado e encenado por Eugénia Gonçalves, na Comemoração do Dia Mundial do Livro, no Auditório da Fundação;
  • junho de 2012, Carnaval Infernal de Carlos Manuel Pires Correia, adaptado e encenado por Eugénia Gonçalves, no Auditório da Fundação;
  • junho de 2012, Carnaval Infernal de Carlos Manuel Pires Correia, adaptado e encenado por Eugénia Gonçalves, no Centro Local de Animação e Promoção Rural (CLAP) de Vila Chã – Amarante;
  • novembro de 2012, Carnaval Infernal de Carlos Manuel Pires Correia, adaptado e encenado por Eugénia Gonçalves, nas Comemorações de Elevação a Freguesia, em Leça do Balio;
  • fevereiro de 2014, O Intervalo da Vida II de Eugénia Gonçalves, no Auditório da Fundação;
  • novembro de 2015, O Intervalo da Vida III de Eugénia Gonçalves, no Auditório da Fundação;
  • fevereiro de 2016, O Intervalo da Vida III de Eugénia Gonçalves, no Auditório da Fundação.

Este grupo de teatro pretende continuar a dinamizar a sua atividade no sentido de desenvolver, na comunidade, o gosto pela representação.

LA

  • LORDATOR JUVENIL

A Fundação A LORD criou, em outubro de 2012, mais um grupo de teatro, com a particularidade de se destinar a crianças com idades compreendidas entre os 8 e os doze anos. Este grupo, chamado de LORDator Juvenil, visa disponibilizar aos mais pequenos o acesso ao teatro e despertar talentos de representação e a criatividade.

LAJ

 

ESCOLA DE DANÇA

A Escola de Dança da Fundação A LORD surgiu em outubro de 2016 e tem como finalidade permitir às pessoas, essencialmente de Lordelo, usufruir de conhecimentos de diversos ritmos e tipos de dança.

Esta valência arrancou com aulas de Ballet e, para além desta, proporciona aulas de Hip Hop e de Danças de Salão.

M

Corpo de docentes

Ana Silva | Ballet

Hugo Romano | Danças de Salão

Paula Rodrigues | Hip Hop

 

ESCOLA DE MÚSICA

Para colmatar algumas necessidades musicais, a Fundação A LORD relançou, em outubro de 2013, a Escola de Música com um novo formato, cujo responsável é o maestro Rui Leal. Oferece-se, assim, aulas de iniciação musical, flauta, saxofone, viola, guitarra, violino, fagote, clarinete, trompete, trompa, trombone, eufónico, tuba, bateria, cavaquinho, percussão, bateria e piano. Com este projeto, foi possível apoiar novas atividades e chegar à comunidade musical.

A Escola de Música permite facultar conhecimentos e habilidades básicas da linguagem musical, possibilitar a compreensão da música, enquanto expressão humana, artística e cultural, e abrir horizontes na área musical.

IMG_2934

Corpo de docentes

Rui Leal | Responsável pela Escola de Música da Fundação A LORD e professor de Formação Musical e Saxofone

Catarina Rodrigues e Vera Dias | Violino

Daniela Nunes | Canto

José Barbosa | Flauta Transversal

Marlene Cortez | Guitarra / Viola

Miguel Rodrigues | Clarinete

Pedro Gomes | Percussão

Rui Santos | Cavaquinho / Música Tradicional

Sophia Papaioannou | Piano

 

ORFEÃO DA FUNDAÇÃO A LORD

A tradição musical em Lordelo (Paredes) remonta à primeira metade do século XX, época em que o Maestro Vergílio Pereira fundou, nesta cidade, o Orfeão Castro Araújo, que obteve a medalha de ouro no 1.º Concurso Orfeónico, realizado na cidade do Porto, em 1932.

Tentando retomar esta tradição, criou-se, em 1998, o Orfeão da Fundação A LORD, com o objetivo de continuar a sensibilizar a população para esta área cultural, incutindo-lhe o gosto pela música e permitindo ocupar, de forma profícua, os seus tempos de lazer.

Este coral é constituído por cerca de 27 elementos. Interpreta música vocal a capella, abrangendo contudo no seu repertório os mais diversos estilos.

A partir do ano 2000, e apesar da sua juventude, começou a participar em alguns eventos culturais organizados pela Fundação A LORD, tais como: o OrffLORD – Festival de Orfeões – e concertos de Páscoa e Natal. Tem vindo a apresentar-se em várias localidades do nosso País, destacando-se a sua participação, em colaboração com outros coros, num memorável concerto realizado na cidade do Porto, no dia 24 de junho de 2002, sob a direção do Cónego Ferreira dos Santos.

Em 2007, tendo em vista divulgar o trabalho já realizado, gravou um CD onde uma boa parte do seu repertório ficou registada. Através dos seus concertos, tem dado a conhecer a cidade de Lordelo e a sua Fundação.

Em abril de 2011, efetuou a sua primeira internacionalização ao participar no VIII Certame de Habaneras de Naron (Espanha).

O Orfeão da Fundação A LORD é dirigido pelo Maestro Luís Bovião Monteiro desde o seu início, tendo sido apresentado pela primeira vez em público, no dia 16 de junho de 1999, aquando do primeiro aniversário da Fundação A LORD.

ORQUESTRA DA FUNDAÇÃO A LORD

A Orquestra da Fundação A LORD é um projeto musical criado em outubro de 2012.

É composta por jovens instrumentistas de sopro, percussão e cordas. O seu concerto de apresentação teve lugar no dia 12 de julho de 2013, no Auditório da Fundação A LORD.

Aproveitando a tradição enraizada das bandas filarmónicas, esta orquestra pretende desenvolver com elas um trabalho complementar e alternativo. Tem também como objetivo evoluir para um processo de semiprofissionalização, numa lógica de interação com outros grupos quer em espaços ao ar livre, quer em auditórios ou salas de concerto. Pretende levar a cabo master classes com professores de reconhecido mérito artístico. Propõe-se, ainda, realizar concertos, convidando maestros e solistas, bem como participar em concursos nacionais e internacionais.

Neste âmbito, tem vindo a apresentar alguns concertos, participando, em 2014, no I Concurso Internacional de Bandas “Filarmonia D`Ouro”, organizado pela Academia Portuguesa de Banda em parceria com Cardoso & Conceição, tendo conquistado o 2.º prémio na secção académica.

Em 2015, obteve o 2.º prémio na segunda categoria, no II Certame Internacional de Bandas de Música Armónico, em Zamora, e o 1.º prémio, no II Concurso Internacional de Bandas “Filarmonia D`Ouro”, organizado pela Academia Portuguesa de Banda.

Em 2016, conquistou o 2.º lugar do 1.º prémio da 1.ª secção, no III Concurso Internacional de Bandas “Filarmonia D`Ouro”, organizado pela Academia Portuguesa de Banda.

A Orquestra da Fundação A LORD tem como maestro e diretor artístico o professor Rui Leal.

orq

 

 

 

 

Partilhe!