Se está a ver esta mensagem é porque está a utilizar uma versão antiga do Internet Explorer incompatível com o actual site da Fundação A LORD.

Actualize o Internet Explorer para a sua versão mais recente ou instale um dos navegadores de internet abaixo sugeridos por nós:


Internet Explorer

Mozilla Firefox

Google Chrome

Opera

Dinamização da Cultura, da Educação e da Sociedade

Exposição do Museu de História Natural

da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, no Salão Polivalente da Fundação A LORD.

Borboletas e outros insectos embalsamados, uma oportunidade única de apreciarem a natureza, tão de perto!

” Os insectos ocupam, naturalmente, um lugar de relevo nas colecções dos Museus de História Natural. O Museu de História Natural da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto possui  valiosas colecções de insectos, sobretudo de Lepidoptera e Coleoptera, que só podem ser visitadas por quem se desloque ao Museu. Este património é por isso de acesso menos fácil a quem reside longe do Porto. Este motivo, por um lado, e o reconhecimento da importância dos insectos, que é susceptível de interessar um amplo leque de pessoas, com relevo para os estudantes do Ensino Básico e Secundário, por outro, levou à organização da exposição “O Mundo dos Insectos” com o intuito de divulgar perante o grande público alguns dos aspectos da biologia deste importante grupo de animais.

Os insectos constituem um dos mais importantes grupos de animais podendo afirmar-se que a vida tal como a conhecemos hoje seria indubitavelmente diferente em muitos dos seus aspectos se estes animais não existissem.

Sendo o maior grupo animal que existe na Terra a sua influência, directa e indirecta, na espécie humana é da maior relevância. Os insectos desempenharam, ao longo da história, um papel fundamental na economia de muitas regiões – a produção de seda e a sua comercialização através da denominada “rota da seda”, é apenas um exemplo. Por outro lado, os insectos são vectores de microorganismos que causam doenças que provocam  anualmente milhões de mortes (malária, doença do sono, várias tipos de viroses, doença de Chagas, etc.), e foram vectores do agente etiológico da “peste” que dizimou uma grande parte da população europeia na Idade Média. A importância dos insectos na polinização, e portanto no sucesso das culturas, é bem conhecida. Igualmente estão bem documentados os prejuízos, por vezes totais, que podem provocar nas mesmas, nomeadamente em condições ambientais particulares que levam ao aparecimento de  grandes densidades populacionais de certas espécies que podem deslocar-se rapidamente, como no caso das “pragas de gafanhotos”.

A biologia dos insectos, nas suas múltiplas facetas, é um campo de estudo fascinante, com aplicações práticas de relevo,  nomeadamente a nível de saúde humana nos países em vias de desenvolvimento. Assim se  justifica que haja milhares de biólogos que se dedicam exclusivamente ao estudo destes animais.” Raquel Ribeiro – Faculdade Ciências da Universidade do Porto

Partilhe!

Tags:

Sem comentários.

Responder