Se está a ver esta mensagem é porque está a utilizar uma versão antiga do Internet Explorer incompatível com o actual site da Fundação A LORD.

Actualize o Internet Explorer para a sua versão mais recente ou instale um dos navegadores de internet abaixo sugeridos por nós:


Internet Explorer

Mozilla Firefox

Google Chrome

Opera

Dinamização da Cultura, da Educação e da Sociedade

Teatro | PEQUENO TRABALHO PARA VELHO PALHAÇO | 20 maio

Datas: 20/05/2017 |Hora: 21:30 Localização: Auditório da Fundação A LORD, Lordelo Paredes

 

PEQUENO TRABALHO PARA VELHO PALHAÇO 

NOTAS BIOGRÁFICAS DA COMPANHIA

Há 44 anos, um grupo de jovens atores profissionais, entre os quais, António Reis, Estrela Novais e Júlio Cardoso, resolveu pôr em prática uma ideia que já há anos vinha a germinar no pensamento de cada um deles.

Perante um teatro cada vez mais amordaçado pelo rigor da censura e comprometido, que não tinha em consideração os objetivos de toda uma atividade teatral, o público era inexoravelmente cada vez mais afastado das salas de espetáculo.

E foi assim que o tal grupo de jovens atores profissionais resolveu meter ombros a tão difícil tarefa e criou no Norte do País uma Companhia de Teatro, integrada num projeto cultural que rompesse com tal estado de coisas e levasse aos públicos o teatro e a cultura que eles mereciam; reconhecendo os reduzidos parâmetros de motivação, mas ao mesmo tempo integrando-se e dinamizando o movimento do teatro independente que começava a despontar, tornando-se, deste modo, num exemplo para o aparecimento de outros novos agrupamentos profissionais no País.

Um teatro de rigor artístico, cultural e de comunicação.

Nestes 44 anos, a SEIVA TRUPE tem promovido um sem número de atividades paralelas, como: colóquios – conferências – recitais – exposições – mesas-redondas. Estreitou laços de amizade com dezenas de coletividades, estabeleceu intercâmbios com várias estruturas nacionais e estrangeiras, publicou cadernos de apoio, promoveu encontros de teatro, recitais de música contemporânea e de jazz, ciclos de cinema e apoiou técnica e artisticamente muitos agrupamentos. Promoveu diversos concursos de textos de teatro, de prosa e de poesia, editou serigrafias de teatro, etc. Organizou e participou em diversas efemérides culturais.

Há vários anos que foi reconhecida como Instituição de Utilidade Pública (1993).

Tem participado em inúmeros festivais no país e no estrangeiro, como por exemplo Angola, Moçambique, Brasil, França, Inglaterra, Espanha, Macau e tem estabelecido amiudadas presenças e intercâmbios com a Galiza.

Organizou vários CURSOS DE TEATRO, por onde passaram centenas de pessoas, muitas das quais foram dinamizadas para orientação e ampliação de grupos de teatro amador de coletividades e de empresas, e outras dedicam-se ao ensino de teatro e outras ainda seguiram o profissionalismo.

Esta Companhia institui bienalmente o Prémio SEIVA destinado a distinguir as individualidades que através das suas obras ou das suas atividades mais tenham contribuído para o progresso, dignificação e prestígio das artes, das letras e das ciências, da cidade do Porto. Pelo seu significado e crivos de atribuição é hoje um dos prémios mais representativos do Porto.

Foi uma das principais impulsionadoras e criadoras do FITEIFestival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica, bem como da fundação da Academia Contemporânea do Espectáculo, da ADN Agência para o Desenvolvimento do Norte Teatral e da AMAR – Associação Mutualista dos Artistas – Casa do Artista/Norte.

Durante estes 44 anos de existência produziu 136 espetáculos de teatro, estando na sua maioria, obras de reputados autores da dramaturgia universal, sendo ainda de salientar que muitos deles obtiveram prémios importantes e de referência, tanto no País como no estrangeiro.

Condecorada pela Presidência da República com o Grau de Membro Honorário da Ordem de Mérito – Dia Mundial do Teatro – 2010.

Estrutura, desde sempre, apoiada pelo Ministério da Cultura / Direcção Geral das Artes.

 

SINOPSE DA PEÇA

Três palhaços ansiosos mas esperançosos pelo que o futuro lhes reserva; a comédia “negra” da vida!

A temática do velho artista sem trabalho, da competição feroz entre as pessoas, numa parábola sobre a sociedade em que vivemos, que nos transporta para uma representação de dimensão poética, onde à ternura do clown se mistura a amargura da sua própria vivência…

A história de três velhos palhaços que esperam ser recebidos para um “casting” a fim de poderem ser admitidos para um pequeno trabalho numa companhia, e durante todo esse tempo vão trocando impressões sobre a tal entrevista e que tipo de números terão de apresentar.

É neste sentido que cada um vai recordando factos e trabalhos, com a permanente preocupação de mostrarem que ainda têm tanto ou mais talento que naqueles tempos dourados. Neste espaço de espera vão emergindo episódios dramáticos e humorísticos numa realidade absolutamente patética. 

 

FICHA ARTÍSTICA E APONTAMENTOS BIOGRÁFICOS DE ALGUNS COLABORADORES

Autor | Matéi Visniec

Tradução | Regina Guimarães

Desenho de Luz | Júlio Filipe

Figurinos | Luísa Pinto

Assistente de Encenação e Direção de Cena | Teresa Vieira

Direção | Roberto Merino

Interpretação | Fernando Soares, José Cruz, Mário Moutinho, Luís Ribeiro e Manuel Vieira

Produção | SEIVA TRUPE

 

Roberto Merino | Encenador / Professor

Possui a licenciatura em Matemática na Universidade de Concepción Chile/especialização em Estatísticas, o curso em Animação Cultural pelo Instituto Piaget/Escola Superior de Educação de Almada e Estudos de Língua e Cultura Alemã na RFA na Volkshochschule de Frankfurt Main, Bachschule de Frankfurt Main e Goethe Institut de Luneburg. Possui o Diploma de Alemão para estrangeiros.

Desde 1972 exerceu a função de professor do ensino superior no Instituto de Matemáticas da Universidade de Concepción Chile e no Departamento de Educação pela Arte da Universidade de Concepción Chile. Actualmente é professor e responsável pelo Departamento de Teatro da Escola Superior Artística do Porto e colabora regularmente com o Instituto Piaget/Escola Superior de Educação de Vila Nova de Gaia, Escola Superior de Educação Paula Frassinetti/Porto, Escola Superior de Educação/Instituto Politécnico do Porto, Ballet Teatro/Escola Profissional do Porto, Escuela de Teatro/Facultad de Artes de la Universidad de Santiago de Chile.

Como dramaturgo e encenador foi, durante 8 anos, o diretor artístico do Teatro Experimental do Porto/TEP e do Teatro Experimental do Funchal. Encenou entre outros autores Ésquilo, Sófocles, Eurípides, Shakespeare, Beaumarchais, Garret, Bertolt Brecht, Gil Vicente, John Arden, Arrabal, Lope de Rueda, Cervantes, Moliére, García Lorca, Ramón Sender, António José da Silva” O Judeu”, Ionesco, Goldoni, T. Weby, Manuel Poppe, Agustina Bessa-Luís e Matéi Visniec. Como autor dramático adaptou para o palco contos dos Irmãos Grimm, Shakespeare,  Brecht,  Antoine  de  Saint-Exupéry,  Oscar  Wilde,  Anabela  Mimoso,  contos  tradicionais  portugueses, contos  populares  ibero-americanos entre outros.

É membro da Sociedade Portuguesa de Autores/SPA e da Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto.

 

 Júlio Filipe | Luz

Doutorando em Estudos Culturais.

Mestrado em Cinema pela Escola Superior Artística do Porto.

Curso Superior de Teatro da Escola Superior Artística do Porto.

Curso Pós-Graduação em Formação Avançada de Gestão-Produção das Artes do Espectáculo.

Realizou alguns cursos de iluminação: Curso/Estágio Iluminação Cénica em Londres com Prof. Robert Onbro e Curso de Iluminação Cénica com Prof. Hamilton Saraiva – Univ. S. Paulo – Brasil. Concebeu o desenho de Luz de todos os espetáculos da Companhia de Teatro Seiva Trupe, bem como dos da Escola Superior e Artística do Porto realizados entre 2008 a 2011. Criou a luz de mais de 70 espetáculos de teatro. 

 

Regina Guimarães | Tradução

Regina Guimarães é uma poetisa, cineasta, dramaturga e letrista.

Juntamente com o seu companheiro Serge Abramovici (Saguenail) fundou a editora Hélastre. Regina Guimarães é membro da banda musical Três Tristes Tigres, tendo escrito as letras das canções da banda. Também escreveu algumas das letras de canções dos Clã.

O primeiro livro da Regina Guimarães foi publicado em 1979, e, apesar de um ritmo de publicação irregular, é considerada como uma das mais importantes artistas da cidade do Porto. A sua poesia caracteriza-se por uma forte musicalidade, associada a imagens fortes e bizarras. Além de livros de poesia, tem publicado outros, de dramaturgia e de teatro. Tem desenvolvido extensivo trabalho como encenadora, também. Paralelamente, tem desenvolvido trabalho em vídeo. Aquando do Porto 2001: Capital Europeia da Cultura, foi uma das escritoras incluídas no ciclo de palestras “Vozes e Olhares no Feminino”, onde Maria de Lurdes Sampaio leu um ensaio sobre a obra de Regina Guimarães. Um excerto do mesmo ensaio, bem como um conjunto de poemas inéditos da poeta foi depois incluído na antologia com o mesmo nome do ciclo, editada pela Afrontamento. (in Wikipédia)

 

Luísa Pinto Figurinos

Mestre em Teatro /Encenação pela Escola Superior Artística do Porto. Docente na Escola Superior Artística do Porto, integrando a Direção da CESAP – Cooperativa de Ensino Superior Artístico do Porto. Doutoranda em estudos teatrais e performativos na Faculdade de Letras, Universidade de Coimbra.

Encenou mais de 20 peças, entre elas “Mil olhos de vidro”,” Dali”, ” Missa do Galo” de Carlos Tê e Manuel Paulo, “ Sicrano “de Jorge Louraço Figueira, “A Casa Encantada” de Roberto Merino, “ Elegante melancolia do crepúsculo”, “Chavela” de Pedro Pinto e Filipe Pinto, “Amor solúvel” de Carlos Tê”, “Um fio de Jogo”, “Trago-te na pele” de Marta Freitas, “Breviário Gota D Água” de Heron Coelho a partir de Chico Buarque, “caminham nus empoeirados” de Gero Camilo, entre muitos outros autores e dramaturgos da língua portuguesa.

A par da encenação, cria cenografia e figurinos para os seus espetáculos, tendo nos últimos cinco anos a sua assinatura em todas as criações.

 

 

Partilhe!

Sem comentários.

Responder