Se está a ver esta mensagem é porque está a utilizar uma versão antiga do Internet Explorer incompatível com o actual site da Fundação A LORD.

Actualize o Internet Explorer para a sua versão mais recente ou instale um dos navegadores de internet abaixo sugeridos por nós:


Internet Explorer

Mozilla Firefox

Google Chrome

Opera

Dinamização da Cultura, da Educação e da Sociedade

XI ORFFLORD | Reportagem

O décimo primeiro encontro de coros, organizado pela Fundação A LORD, realizou-se, no sábado passado. Às 21h30 estava tudo a postos, no Auditório da Instituição. O Orfeão de Gondomar entrou no palco, a maestrina Isabel Rodrigo deu as notas e o espectáculo começou.

A Canção do Mar foi a primeira a ser apresentada, seguiram-se composições populares de diversos países e espirituais negros. Eram cerca de quarenta vozes à capela, a entoar afinada e vigorosamente as nove músicas referidas no seu programa.

O grupo deu vez, posteriormente, à prestação do Orfeão de Loureiro. Ave Vera Virginitas foi a primeira canção a ser apresentada, uma das duas sacras, às quais se seguiram quatro músicas portuguesas, A Paixão de Rui Veloso, Vejam Bem de Zeca Afonso e Acordai de Fernão Lopes Graça. Sob a orientação do maestro Rui Manuel Ferreira, os oliveirenses representaram muito bem a sua terra, tendo finalizado com as afamadas Meninas da Ribeira do Sado, por entre o sotaque alentejano que os orfeonistas tão bem conseguiram fazer.

Por fim e orientado pelo maestro Manuel Monteiro, o Orfeão anfitrião, da Fundação A LORD, presenteou o público com sete músicas de estilo variado, das quais se salientam a eterna Coimbra de Raul Ferrão e José Galhardo e a The Lion Sleeps Tonight, da banda sonora do filme Rei Leão.

A pedido do público, cantaram mais uma vez, tendo sintonizado as vozes no espiritual negro Freedom e agradado os presentes.

O espectáculo durou cerca de noventa minutos e para o ano haverá mais.

Partilhe!

Tags: ,

Sem comentários.

Responder